buzinar

“em brasília evitamos buzinar”

sabe o q eu qiria?
hoje
tudo que eu qria era fazer minha poesia,
respirar pela última vez sua maresia,
sem me afogar, y qe essa asia
nossa de cada dia

num fosse mais que a memória dum borrão.

sabe só o q eu qiria?
poder dizer pra alguém no fim do dia
“hoje num foi nada, aquilo num foi nada”
só contar uma piada, tomar uma sopa, ir deitar
q porrada fosse só coreografia pra dublê de filme de ação

“schwarzenegger
van damme
stallone

chuck norris
vin diesel não
steven seagal”

(meu preferido)

“como é que muda de canal
na netflix?”

y acordar sem despertador
sem soneca sem pressa
num amanhã que num
parecesse 1887

q sair de casa pra rua num fosse tão
assustador, q os carros
respeitassem a
faixa,

que o CO2 respeitasse
os pulmões,

sabe o q eu qiria?
q meu corpo num fosse
tratado como banquete público,

que o púlpito num parecesse amo
(y o congresso seu mais vassalo súdito)

q o custo da vida da gente
das planta dos bicho
das água do vento

num fosse medido em acúmulo
em lucro

mas no valor único
que devia ter cada vida.

eu num qria ter q fazer poesia
de medo y raiva de ontem
do racismo da ferida
colonial amanhã:

“tudo tudo tudo tudo tudo
tudo tudo igual”

qria que esses abismo num
fosse mais um transeunte me atr
avessando as ruas da capital. mas “senhores visit

antes

em brasília

evitamos buzinar”

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s