cadentes

(de) tudo que se distrai (e) cai piscianamente no mesmo buraco, ou
 
no afã da carne das coisas,
quedo,
imaginando um baile
do intangível, in
alcançado &
 
restless
 
(se os budista tinha o tao da razão;
se seus dedos nos meus
medos, &
só)
 
na falta de seus lábios em pares bebo
suas palavras que a boca (ad)
verte
 
e seu revés:
 
silêncio que quase não se ousa tocar o
cerne das coisas, e n’aflita do
cerne das coisas, dum
mientras las cosas,
 
(como se os meus iriam da curva oblíqua sua
asa baja – tus espaldas – hasta la tierra
que sacra la raíz – de tus pellos
adivinhar fantasias a cintura
das coisa – tuatuatuas
volta na lua)
 
na-da profundidade que se dobra
ar-rítmica / marítima /
mítica me sobra
 
o cais.
 
imagino tu desertos papilais,
 
salivando meu céu da boca
como estrelas de condão
me-teorizando o céu
da boca ou ca
 
dentes
 
de brio opaco
 
feito estrela sem-pedido ou constel
 
ação sem vácuo: eros na zênite perpendicular
 
do caos.
 
v. 3
Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s