mesozóica

os olhos do mundo têm uma fresta
por onde se vê, quanto lindo,
tanto passa(n)do

as vozes do mundo emprestam um som
de vestígio ao natural das coisas,
levitando dúvidas

nota-se que a mirada do mundo mora em silêncio,
e que do teto de sua garganta entorna
uma lágrima (estalactada):

seu pranto mimado antecipa um carnaval de vésp
eras: mundo vasto cabe num ponto final,
por enquanto, ou numa quarta-

feira de cinzas dum vulcão qualquer,
magma velho der
retido.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s