simulacro

por causa de frio me emprestou seu casaco, mas quem vei mesmo comigo: seu cheiro
dormi no casaco, também, muito frio, noite toda sonhando comigo seu cheiro
mas será como seu cheiro, seu cheiro seu cheiro mesmo?
perfume doce assim ninguém cheira (me disadivinha como era seu cheiro),
mas tô ligada que do casaco era tudo que eu ia saber do seu cheiro.
acostumei com a doçura como fosse seu cheiro.
outro dia o mesmo frio, fui ver a manhã vestida seu cheiro
um susto de lama manchou o casaco, y mesmo lama tendo seu cheiro
próprio, num foi nada que diluísse
o seu cheiro.
dias passando, casaco me usando, eu aproveitando pra usar
o seu cheiro
mesmo com mancha enrolei pra lavar, num queria que saísse
o seu cheiro
diboua, logo que eu lavo, sem amaciante (que é forte de cheiro),
pra ver se fica no pano um rastro um vestígio um traço
o seu cheiro
ou depois de lavar uso mais pra trocar sua impresença presente n-
o seu cheiro
por um pouco do meu no nasal simulacr-
o seu cheiro.

só que eu num uso perfume não, viu?
 
 
 
[“a literatura não me interessa tanto quanto o seu nome
cheiro]

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s