ofá

distraída
em memórias de futuro
não ouvi
sino tocar.
igreja dos homens jurisdizia:
é hora de rezar.
no terreiro dos meus pensamentos,
Orí pressentia:
melhor esperar…
(hora de batuque quem badala é
Yabá).
envolta
de lembranças do futuro
meu pescoço era arco
pra fazer Orí de Ofá
projétil de miles de anos
da fundeza de oceanos
sonhos desimborcam planos
y quanto mais convexia
crânio de lama macia
mais vento vinha me entrar.
absorta de…
futurias pragmáticas,
enquanto igreja deles ardia
meu roncórpus revolvia
de tempesta ancestrar
(diz que quando Vento carrega
ela nunca vai mais largar)

era transe
era dance
era outro pensar
era ontem montando o dia vindeiro
era o 2 de fevereiro
rio doçurando mar

era descomeço de mundo
era um tudo
e tem gosto de fruto maduro pegado no pé da árvore que semente de futuro sonhou se brotar, sabe como? uma delícia de gosto, suculento, doce… uma delícia esse gosto.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s