sopra

ninguém sabe onde ela anda
que encruzilhadas, que umbrais?
só parede para vento (e olhe lá!)
mas quem quer morar em redoma de cimento?

que compasso ela dança?
valsa torta de tambores ancestrais?
quem tentou não parelhou.
as cadera tudo fora de lugar…

quando passa já passou
& quem vê onde ela vai
segue ela y não volta nunca mais a mesma que já foi.

já foi!

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s